" Escrevo a pontas de lápis diariamente para a morte.. a noite fecho as janelas e me apresento a ela como um grande espetáculo de sentimentos e defloração de ilusão compulsória. "
+
+ + +